50 ANOS DE VIDA SACERDOTAL

 

 

BRANDOA  E  ALFORNELOS

 

Homenagem ao Padre Sidónio Peixe

 

Brandoa e Alfornelos, duas freguesias do concelho da Amadora, celebram amanhã os 50 anos de vida sacerdotal do pároco Sidónio Peixe.

Natural da Madeira, após uma passagem por Roma foi desafiado pelo Patriarcado de Lisboa , nos anos 60, a iniciar a missão pastoral num dos bairros clandestinos  de operários pobres que emergiam à volta da capital.

Homem íntegro, voluntarioso, com uma grande capacidade de trabalho, o padre Sidónio iniciou a sua actividade em condições muito precárias. Mas com perseverança, e além da obra pastoral, construiu uma obra social relevante, com apoio fundamental à infância e terceira idade, e criou dezenas de postos de trabalho.

Na Brandoa, construiu uma Igreja e o Lar de São José. Em Alfornelos, outro subúrbio de Lisboa que cresceu a partir da década de 1980, também construiu um centro social, que é a principal rede de apoio à infância nesta Freguesia, e no ano passado inaugurou ainda a nova Igreja.

Padre Sidnio - Homenagem.jpg

Notícia do Correio da Manhã de 14 de Agosto de 2010

A.E.P.

 

DSC_0117.JPG

 

Homilia do Padre Sidónio Peixe, na Missa de Acção de Graças, no dia da Celebração das suas BODAS DE OURO sacerdotais, na Igreja da Brandoa.

No dia 15 de Agosto de 1960, com a idade de 22 anos, fui ordenado PADRE, na Sé do Funchal, pelo Senhor Bispo, D. DAVID DE SOUSA.

Nesse mesmo dia foi também ordenado em Lisboa o Padre Hermenegildo Vaz, que nestes últimos 24 anos tem dado a sua colaboração nas paróquias da Brandoa e de Alfornelos. Era meu desejo estarmos juntos nesta Eucaristia. Porém, como optou por celebrar este acontecimento na sua terra natal, mantemo-nos unidos, celebrando esta Eucaristia em acção de graças por todos os benefícios concedidos a nós os dois, ao longo destes cinquenta anos de vida sacerdotal. Além disso, alguns dos nossos paroquianos estarão presentes na sua festa, em representação das duas paróquias.

No  dia  seguinte  à  minha  ordenação, a  16 de Agosto, celebrei a minha " MISSA NOVA ", na Igreja Paroquial da Fajã da Ovelha, onde fui baptizado, acompanhado pelos meus pais, os meus irmãos, as minhas avós e outros familiares, bem como por uma grande multidão de pessoas amigas.

Hoje, passados 50 anos, tenho a alegria de ter aqui presentes a minha mãe, os meus irmãos e outros familiares. O meu pai, as minhas avós e outras pessoas já partiram, mas estou certo, que hoje estão connosco a participar desta festa. 

Alegro-me com a presença de todos vós, hoje, aqui. Sei que alguns de vós interrompestes ou alterastes as vossas férias para estardes comigo neste dia. Muitos outros, não podendo estar presentes, manifestaram a sua amizade prometendo estar unidos na Oração. Fiquei sensibilizado com a mensagem das Irmãs de clausura da Visitação na Faniqueira, junto à Batalha, onde se encontram duas paroquianas nossa, cuja comunidade está hoje em oração pelas minhas intenções.

Sinto-me, hoje, profundamente agradecido a DEUS, que me concedeu este dom do Sacerdócio Ministerial e que, ao longo de todos estes anos, se tem mostrado fiel e cheio de misericórdia para comigo. As pagelas, que escolhi para comemorar este dia, são a expressão destes sentimentos: Jesus, o Bom Pastor, carregando comigo aos seus ombros e Maria trazendo ao seu colo este seu filho. As duas orações aí inscritas sintetizam esta atitude de espírito: " Glória ao PAI e ao FILHO e ao ESPÍRITO SANTO " e " AVÉ MARIA ".

A minha vida de padre poderá dividir-se em duas grandes partes:

Os primeiros 15 anos foram dedicados sobretudo à vida académica: 5 anos em Roma, onde fiz a licenciatura em Teologia Dogmática e o doutoramento em Teologia Moral e os outros dez a leccionar no Seminário Maior do Funchal, no ISET e na faculdade de Teologia da Universidade Católica de Lisboa.

Os últimos 35 anos foram dedicados à Brandoa.

Em Alfornelos, estou a trabalhar também há 21 anos: 9 anos, enquanto Alfornelos faziam parte da paróquia da Brandoa e ultimamente mais 12 anos, depois de ser paróquia autónoma.

Fazendo um balanço da minha actividade nas duas paróquias, tenho consciência de ter feito o melhor possível. No entanto, não esqueço as palavras de Jesus: " quando tiverdes feito tudo o que vos foi ordenado dizei: somos servos inúteis, fizemos o que deveríamos fazer " (Luc.17,10).

Neste momento, gostaria de agradecer a DEUS, que me concedeu este dom de ser padre; à IGREJA, que sempre me acolheu com carinho e magnanimidade; à minha família, que sempre me tem apoiado; aos Padres e Diáconos aqui presentes e a tantos outros, que têm sido para mim um exemplo e um estímulo; aos Representantes das Juntas de Freguesia de Alfornelos e da Brandoa, com quem mantenho as melhores relações de amizade e de colaboração. Uma palavra de muita gratidão a todos vós aqui presentes e a tantos outros que contribuíram de diversos modos para a festa, que hoje celebramos.

Quero também recordar todos os falecidos, que fazem parte da minha vida: os meus familiares, sobretudo o meu pai; o Bispo que me ordenou; os padres que mais me marcaram e todos os Paroquianos e outros amigos, a quem recordo com saudade e por quem rezo todos os dias.

Finalmente, quero fazer-vos um pedido, o mesmo que S. Paulo dirigiu à comunidade de Roma: " Rogo-vos, irmãos, por Nosso Senhor Jesus Cristo e pela caridade do Espírito, que me ajudeis com as orações, que dirigis a Deus por mim" ( Rom. 15,30 ).

 

 

Padre Sidnio.1.jpg

O padre Sidónio Peixe foi presenteado pelos paroquianos 

Amadora: Padre Sidónio peixe celebrou 50 anos de sacerdócio

Fiéis dão cálice ao padre

Por: Isabel Ramos - CORREIO DA MANHÃ -

O padre Sidónio Peixe, que ontem celebrou 50 anos de sacerdócio, lembra-se do dia em que visitou a Brandoa pela primeira vez: "Chovia e as ruas estavam cheias de lama." Foi há 35 anos e a Brandoa, também conhecida por 'Texas', era o maior bairro clandestino da Europa.

O padre ficou e, logo na primeira missa, ofereceu aos paroquianos o que tinha: capacidade de trabalho, boa vontade e entusiasmo. Ontem, durante a missa solene de celebração dos 50 anos de sacerdócio, 35 ao serviço daquela paróquia, a população agradeceu-lhos, presenteando-o com um cálice em prata maciça e duas imagens: a de São Francisco de Assis, padroeiro da Igreja de Alfornelos, que ajudou a erigir, e de Santa Teresa do Menino Jesus, padroeira da Igreja da Brandoa.

Homens, mulheres e crianças, novos e velhos, não deixaram lugar vazio na Igreja da Brandoa. "É um homem bom e preocupa-se connosco", realçam os paroquianos. Outros consideram Sidónio Peixe "o padre construtor", lembrando o empenho do sacerdote na edificação de um espaço para ATL, um jardim-de-infância, uma creche e, recentemente, um lar de idosos, a igreja e o centro paroquial.

Sidónio Peixe tinha 36 anos quando aconteceu o 25 de Abril. "Fiquei entusiasmado com a revolução." Nessa altura, "a Brandoa era uma terra abandonada".

 

 

Padre Sidnio Peixe.JPG

 

FELICITAR E AGRADECER

 

Comemoram-se este ano, mais precisamente em Agosto, dia quinze, os 50 anos de sacerdócio do Padre Sidónio Peixe, responsável pela paróquia da Igreja Católica na nossa freguesia de Alfornelos.

O Padre Sidónio Peixe é um homem íntegro, uma pessoa séria, de conduta exemplar, honesto consigo e com os outros, que optou por dar tudo em prol das suas causas, com trabalho feito, publicamente reconhecido como uma referência positiva da Igreja pelos seus actos e pelas obras realizadas.

Os que mais de perto o conhecem, retratam-no como um homem simples, de birras e de paixões, de queixas não amargas, de cansaços e de alegrias, muito atento às condutas das pessoas que lhe merecem sempre a maior das atenções e que procura sobretudo compreender e ouvir serenamente.

Mais do que tudo, o Padre Sidónio Peixe procura estar com e para os outros, estes são os seus sentimentos, caminhos e projectos.

São ainda muito recentes estas palavras de D Carlos de Azevedo - Bispo Auxiliar de Lisboa, na cerimónia da ordenação de mais um Padre, um jovem de trinta e dois anos:

" Não sejas padre à maneira deste grupo ou daquele movimento, desta última corrente ou à moda antiga. Tem como modelo Jesus e serás tu mesmo modelo do rebanho porque profeta de Deus, sacerdote de Cristo e pastor segundo o Espírito Santo.

Tendo Jesus por modelo não tememos estar no mundo, ser do nosso tempo, sem nos submetermos ao mundano.

Jesus rompeu com estruturas de dominação e amou cada pessoa do seu tempo, como Bom e Belo Pastor, amou com a frontalidade profética de quem era de Deus e exigia obediência radical e liberdade inventiva.

Em cada tua entrega pelos outros, em cada celebração vivida com verdade, em cada gesto de congregação e de ternura chegue o povo de Deus a compreender o amor eterno, a entrega que o Pai fez no seu filho Jesus.

O teu modo de ser padre seja profecia do gozo da eternidade, estando no mundo.

Não desperdices a graça de ser consagrado, na verdade de Jesus e na vivência profunda do sacerdócio cristão ".

É aqui que está o Padre Sidónio Peixe. A sua profunda Fé inquieta-nos. Com uma simplicidade desarmante, protesta que a Deus tudo se deve. Dá que pensar.

Por muito indiferentes que sejam muitas e muitas pessoas desta nossa freguesia, por muitas que sejam as ausências nas festas, na celebração da missa do dia quinze de Agosto, no almoço de confraternização, na comparticipação para os gestos de gratidão que se estão a preparar, estamos convictos que muitos e muitos subscrevem estas palavras de felicitações e de agradecimentos.

Senhor Padre Sidónio, o nosso muito obrigado, parabéns.